É proibido proibir
Lamento dizer não a Maomé
É proibido proibir
Queremos tomar café

Lá na África
Kahldi fez a descoberta
Que ao comer um certo fruto
Ou beber do seu produto
A pessoa fica mais esperta
Um grande amor se fez presente
E através de uma semente (plantou)

Melo Palheta foi sutil
Romanceando trouxe o fruto para Brasil

É teatro, é casarão
Luxo e beleza
Quem estudava na Europa era a nobreza
A idéia não vingou
Virou a mesa
Furou o bolso do Barão, adeus riqueza
Hoje, o Mártir da ecologia lá no céu
Vê com tristeza e harmonia
A natureza se acabar
Quero a soja, o ouro e o canarinho (a cantar)
Todos de volta pro seu ninho
Em verde e branco
A esperança vai voltar

Aqui não é terra de cego pra ter rei
Eu não errei bye bye
Bye, bye, Sarney
Quem acredita nesse solo não partiu

Mostra sua cara, meu Brasil