Achei uma bola de ferro
Presa a ela uma corrente
Tinha um osso de canela
Deu tristeza em minha mente
Esse osso de canela
Veio de outro continente

De jeito nenhum, não é preconceito
Negro ou Branco têm direito
Nossa escola não faz distinção de cor
Pra falar sobre esse tema
Foi que surgiu o problema
E o dilema se avizinhou

Ôô, ôô, a nossa escola
Enaltece a negra gente
Que nunca ficou chorando
Sempre viveu cantando, fingindo contente

Negro paga imposto
Negro vai a guerra
Negro ajudou a construir a nossa terra
Temos a pergunta
Não nos leve a mal
Por que só no triduo de Momo
Que o negro é genial?

Ele é capitão
Ele é general
Poderia ser tantas coisas
Dentro da vida real
Laia laia laia laia laia, ôô