Não adiantaria


Se eu me enfeitar com brilhos, todo muito irá querer também
Se sou durona, não tenho que temer abandonos
Se eu for famosa, talvez me sentirei bem nessa pele
Se eu for culta, minhas palavras de alguma forma serão respeitadas

Eu daria uma festa e ainda assim não adiantaria
Eu andaria de bicicleta, correria, nadaria e ainda assim não adiantaria
Eu viajaria e ainda assim não adiantaria
Eu morreria de fome e ainda assim não adiantaria

Se eu fosse masculina, eu seria mais levada a sério
Se eu tirar férias, isso faria de mim uma irresponsável
Se eu fosse uma fugitiva, certamente me achariam
Se eu preciso de assistência, devo ser incapaz

Eu seria podre de rica e ainda assim não adiantaria
Eu os seduziria e ainda assim não adiantaria
Eu beberia vodka e ainda assim não adiantaria
Eu teria um orgasmo e ainda assim não adiantaria

Se eu acumular conhecimentos, serei impenetrável
Se eu for indiferente, ninguém saberá quando me derem nos nervos
Se eu permanecer calada não acontecerá nenhum transtorno
Se eu for vulnerável, serei humilhada

Eu faria compras e ainda assim não adiantaria
Eu deixaria o país e ainda assim não adiantaria
Eu gritaria e me rebelaria e ainda assim não adiantaria
Eu me encheria e ainda assim não adiantaria

Eu seria produtiva e ainda assim não adiantaria
Eu seria celebrada e ainda assim não adiantaria
Eu seria o herói e ainda assim não adiantaria
Eu renunciaria e ainda assim não adiantaria