Quando seja espaço


A fronteira é sua imaginação
No momento só sou terráqueo
Nem espanhol, nem europeu, nem latino, nem flamenco, nem mesmo ocidental.
Só sou um terráqueo que sonha com ser lunático,
E ainda que com a certeza que jamais chegarei a ser marciano,
Quando for espírito serei espaço.
E se vejo que o infinito me angustia,
Darei uma olhada em um desses buracos negros
Onde dizem que até a luz é tragada
Meu ontem, minha verdade, meus princípios
Vêm e vão e se vão cada vez por mais tempo
Tão cheios de simples verdades,
Tão fácil se o sabe fazer
Meu aquele e meu ali, meus princípios
Vêm e vão e se vão cada vez por mais tempo
Mas quando for espírito serei fácil,
E se vejo que o infinito me angustia,
Te chamarei ou me chamará,
Daremos juntos uma olhada em um desses buracos negros
Onde dizem que até a luz é tragada
Mas eu quando morrer, quando for espírito serei espaço
Quando for espírito serei espaço
Quando for espírito serei espaço
E já não terei que parar na sua fronteira
E já não poderão me fazer mais dano
Quando for espírito serei espaço, serei espaço