O Dia se aproxima
Que antiga felicidade
Eu me encontro em Hiroshima
E tu... te encontras em Nagasaki?

Sou o cadáver que o mar traz à praia
Tela irreal em que erro em cor a minha arte
Coração que caí, uma ânfora que reparte
O teu silêncio agacha, recolhe-o sob a saia.

Se aproxima, Se...aproxima e invade
Como o mar que inunda a caverna aberta
Desemboca ao rio sombrio no vale de Hades
O esquecimento lembra a morte certa

a Morro se desmorona, lento...e 'aplana'
Com o vento do tempo que mal modela
(uma súbita fuga, mentira nossa que sela)
Na brisa do teu leque que mal abana.

Vídeo incorreto?