Um nascimento virginal, ou meninas tomam o vôo da torre Óssea


No solo que é mais escuro
Do que os ciprestes que levam ao céu
Nosso povo
Saiba que o céu

Os fragmentos são quebrados
E tomo sangue junto com eles como eles caem

Minha pele de cera é derretida em algo com cheiro doce
E meus ossos de cristal são quebrados
A única coisa que deve ser embrulhado com este corpo
É uma alma que não pode decair

Mesmo naqueles tempos distantes, antigos
Mesmo assim, não havia futuro
Todos aqueles anos atrás

As asas que eu perdi foram azul
Eles eram a prova de que era amado pelo povo sol
Eu disse as nuvens "eu estou aqui"
Mas eu quero dizer a alguém

Nossa aparência é bonita e feia
Isso é o que nasceu para ser, mas...
Por favor, nos matem
Nós não somos os filhos de deuses

O cortejo fúnebre está sendo enviado
Para escalas da mariposa venenosa

A única coisa que orienta as cordas de luz
É fé ou ilusão?
Certamente no mundo das pálpebras
É uma realidade que não cai

Alguns traços de vida retornam
A partir da lama do fim

As asas que adotei são negras
Elas são o símbolo de um anjo e um abraço de diabo
Outra batimento cardíaco irá agora
Violar o meu corpo magro

Eu fecho meus olhos, abro meus olhos
Desde a madrugada, já que a noite escura
Sem ser deflorada pela morte e renascimento
De desmontagem e concepção

As asas com que nascerei serão brancas
Vou abraçá-los
Se o meu desejo para eles torna-se realidade
Disseram-me para ir para aquele lugar
Mas o que eu estou esperando

Só batendo minhas asas
É tão fácil
Para voar como esta

A queda, que não é mais permitida é maior