Não quero ser chamada
Muito menos julgada
Pela sua insensatez

Não suporto ser lembrada
Das falhas que cometo
Nem ser pressionada
Pelas suas palavras

Minha cabeça roda
Meu peito aperta
Ao ouvir a sua voz
Fico rouca e perco a fala

Me sinto muda
Com a boca tapada
Sua intolerância cerrada
Na minha cara, sinto o tapa

O melhor a fazer é ficar calada
Sentar e esperar
Alguma fada malvada
Vir me salvar