Sexta-feira é final de expediente
Recebi meu salário e o dia está excelente
A estação é ótima é janeiro é verão
Eu entro no meu carro sem andar na contramão
Uma luz divina preenche minha vida
È difícil não sorrir ao ver essa menina
Suas curvas e sua beleza
São rodeadas por uma linda natureza
Se existe mais linda que tu, eu não sei
Vou delirar nas curvas da Freeway

Eu olho por todos os lados e direções
Vejo carro, moto, ônibus e caminhões
Alguns com muita pressa de chegar
Tiram a vida de outros que só querem passear
Porto Alegre diminui no retrovisor
E eu piso mais forte no acelerador
No horizonte vejo meu primeiro estágio
Reduzo a velocidade e paro no pedágio
A hora que vou chegar na praia, não sei
Vou delirar nas curvas da freeway

Seguindo nessa estrada na memória uma lembrança
Dirigir pela freeway era meu sonho de infância
Dentro do fusquinha branco junto com meus pais
A paisagem eu via do banco de trás
Acenava para os carros que meu pai passava
As pessoas sorriam e davam gargalhadas
No rádio Raulzito, Gil, Rita Lee,
Mutantes e os gaúchos Kleiton e Kledir
Por muitos anos eu esperei
Pra delirar nas curvas da freeway

Diminuo a velocidade e o volume do rádio
Mais a frente eu vou parar no segundo pedágio
O segundo estágio eu já completei
Mas a viagem ainda não terminei
A brisa da lagoa, a placa madruga
No alto do morro naquela curva
As placas fazem o meu coração disparar
Dizendo que o fim da freeway já vai chegar
Não me preocupo por ela voltarei
Delirando nas curvas da freeway
Acompanhado ou sozinho, não sei
Quero delirar de novo na freeway
Desde criança sempre sonhei
Delirar sozinho pela freeway
Todos verões por ela passei
Pra eu ir à praia só pela freeway

Vídeo incorreto?