Foi vancê, com teus óio enfeitiçado
Que me pois atrapaiado
Minha vida, eu já num sei vivê
Na cidade, onde tudo é farsidade
Inté juro sem temor
Os teus óio, lá, são de valor
Óh meu amô, minha vida, óh criatura
Já num posso trabaiá
Pois, teus óio, me tortura
No sertão, com os catingais em flô
O amô, é outro amô
Vem direitinho do coração
E a gente, que tá mal acostumado
Fica mesmo assombrado
Com esses óio que nem de serpente

Vídeo incorreto?