Tenho em minha alma, porto esperança, triste lembrança de uma paixão, se eu não ver mais aquele cuiabano levarei triste recordação.
Quando o cruel cuiabano numa chalana se despediu, sozinha fiquei soluçando e meu lenço abanando nas margens do rio.
Oh garça branca mato-grossense que andas margiando rio Paraguai, voa bem longe oh garça branca, veja o destino que o ingrato vai.Voa voa bem longe oh garça branca, veja o destino que o ingrato vai...

Vídeo incorreto?