Garoto febril


O garoto "A" sabe muito bem como ganhar a vida pois abandonou essa rotina tediosa.
Mas bem no meio da estação de chuvas ele se deprimiu profundamente, pois só ria "hehehe..." nos dias de sol.

Sempre estava muito entusiasmado a perseguir com fervor "aquele" amor.
O primeiro suspiro saiu de seu peito apaixonado.

No dia seguinte, seu coração se partiu.
E foi isso que ele disse para a garota:

"Quanto mais estimulado eu fico a tocar as suas cordas,
Começo a almejar algo que está acima do que está acima do que está acima do que está acima do que está... do que está acima de 'mim',
Começo a almejar algo que está acima de minha visão, acima de minha visão, acima de minha visão... acima de 'minha' visão."

O cenário agora é a cidade à noite em agosto: foi inevitável ficar de costas para ela.
A prévia de seu futuro é simplesmente cruel, foi seu primeiro e ofuscante flashback.

"Aquele" amor está completamente garantido com a sociedade da morte e do amor.
O aumento da vitalidade das peculiaridades de sua juventude traz uma leve melancolia que não é responsável pela sua inexperiência, mas tudo bem.

No dia em que viu que as nuvens tornaram-se tanques de guerra, foi isso que ele disse para a garota:
"Estou estimulado a tocar as cordas de seu coração, você me permite desejar isso?"

Será que o perfume da mentira daquela garota algum dia desaparecerá como o laranja do pôr-do-sol?
Será que minha febre irá passar?
Eu tentei ficar mais e mais e mais e mais e mais febril... mas o verão já tinha acabado.