De lá não tem pessoa
De cá também não tem
To batendo na minha zabumba
Não é da conta de ninguém

Andam dizendo que eu estou batendo
Que eu vivo batendo dia e noite sem parar
A vizinhaça foi ao delegado
Me denunciaram e nas grades eu fui parar

Não sei porque o povo se incomoda
Deixa bater até cair no chão
Se estou batendo é porque estou sofrendo
E to quase morrendo e tenho cá minha razão