Tudo o que tenho é meu corpo
Sou o que tenho e te dou.

Com um corpo como o teu
não precisas nem de alma.
Sente a minha violência
como uma essência de calma.
Anjos, se houvesse anjos...
Claro, seriam como tu.
No corpo, rosa dos ventos,
tudo é norte, tudo é sul.
Se oriente, se ocidente,
toda cor corre pro azul.
Não nada como o nada que é o eu,
indescritível nú.

Sou um seixo rolado
na estrada do lado
de lá do sertão.
E ser tão humilhado
é sinal de que o diabo
é que amassa o meu pão.
Mas meu corpo é discente
e, civilizada e a mente,
gosta, cheira, toca, ouve e vê.
E, com amor e anarquia,
goza que enrosa e arrepia,
roquerolando em você.
Be-bopeando em você.
Calipsando em você.
Merenguendo em você.
Bluesbusando em você.
Um boogie-woogie em você.
Tango um bolero em você.
Chorando em você.Jaz(z) em você

Vídeo incorreto?