Tá tudo certo
Meu preto, minha nega amiga
Melhor sair de perto
Meu prato, minha mania
Que se eu chegar no acalanto
Te como, te cato, te mato
De Prazer, amor e fantasia
Transformo no fato que agora ainda
Eu sou entretanto do tanto amor
Passando ao lado do acaso
Ainda sou o retrato de um beija-flor
Passo a passo no gemido do ato do forró e filosofia

Vídeo incorreto?