Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

Não há nada igual ao forró
Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

O forró é o cenário
De muitas histórias de amor
De intrigas, de flor e ciúmes
Onde dança quem nunca dançou

Tem amor que passa raspando
Só se insinuando e não vem
Tem amor que quando chega tarde
Faz alarde como chega um trem

Mas quando arde o amor de verdade
É quando o coração desata o nó
Hoje tenho o amor que mereço
E por isso ergo as mãos e agradeço
Não há nada igual ao forró

Não há nada igual ao forró
Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

Não há nada igual ao forró
Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

O forró é centenário
Mas tem alma de adolescente
Que coroa a nossa mocidade
Da cidade ao sertão, certamente

É a dança que nos reanima
Na batida que bate o tambor
É a dança que nos aproxima
Vem por cima de mim, meu amor
Rodopia que o mundo gira
Quando você não me deixa só
Eu não quero que você se fira
Não machuco porque sinto dó

Mas de pisar na fulô não me esqueço
Está bom e é só o começo
Não há nada igual ao forró

Não há nada igual ao forró
Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e de dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

Mas não há nada igual ao forró
Não há nada igual ao forró
Bom de ver, bom de ouvir e de dançar
Pouco antes do dia raiar
Eu não vejo quase ninguém só
Não há nada igual ao forró

Vídeo incorreto?