Vampiro


Denso e quente é o seu sangue
Vermelho como o horizonte
Branco e frio é o seu corpo
Branco como a minha cara torta
Você é inútil .. frágil .. mentindo
Aqui diante de mim

Está pálido, branco nas garras de uma morte muito lenta
Eu! te morderei te sugarei o sangue, não te pouparei!

Eu ouço uma musa que canta para mim,
Sua voz me conforta!
Eu sinto sua respiração é fraca,
Doce você acorda lentamente ..
E agora que você se encontra aqui na minha frente
Te estinguirei...

Você está pálido!, branco nas garras de uma morte muito lenta
Eu! Você suga, doce ninfa, o sangue
Não poupe!

Mas! Talvez eu esteja delirando agora que..
Seu rosto está me deixando aqui... diante de você...
Mas talvez seja só lamento o que eu sinto..
Eu não te pouparei! Nunca!

Poupe-me
Não, poupe-me
Agora que você se encontra aqui na minha frente,
Agora que você se estingue diante de mim!

Está pálido, branco nas garras de uma morte muito lenta
Eu, te morderei, sugarei seu sangue,
Não te pouparei, nunca!