Ser e estar
Longe daqui
Sei que você está
Perto do fim

Vejo como está
Não acho bom sem ruim
E posso te dar
Algo simples assim

Por um mísero milhão
Por um mísero milhão

Porque não mostrar
O seu sorriso pra mim
Estamos começando
E mais parece o fim

Sabe a história que alguém contou
Me trouxe de volta e te transportou

Os amigos do dinheiro
São seus melhores colegas

O meu tempo é o seu
E o seu tempo é o meu

De repente, eu fui pego
Mas agora
Estou sem medo de pular corda
Medo de acordar cedo
Medo de bater no chão com os joelhos

Mas para mim não basta
Mas para mim não basta

Medo de ir pra escola e de não voltar
Medo de cair e não se levantar
Quem paga pra entrar no amor
Tudo isso e o suspense da dor

E eu paro e você disfarça
Até quando serei sua vidraça
Que não quebra e não se despedaça
Um espelho que você só embaça

Eu me sinto preso em um vagão
Sem destino e nem direção

Sei que o calor
Não anda junto ao frio
Mas como as amizades também temos inimigos

É triste mas tudo no mundo é necessário
Não sentimos o tempo mas cumprimos horários
É partir, viver infeliz e morrer confuso
É confundir sem partir deste mundo

Mudar os caminhos passando por cima e esperando o futuro
Mudar os costumes pra acordar um dia e tomar um susto

Estou vendo
Agora quem sou eu
Uma contradição
De algo que não é meu

Vídeo incorreto?