Veja seu moço o velho caminhoneiro
Vai dirigindo aquele caminhão
Aquele velho era um boiadeiro
Que passava o ano inteiro cortando o estradão

Em um cavalo valente sadio
E sua roupa da cor do chão
Mesmo com chuva com sol ou com frio
Ele nunca desistiu da sua profissão

Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão
Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão

Vem o 60 janeiro chegando
E aproximando o fim da missão
Mas o herói pra nada ta ligando
Sorridente vai guiando o seu caminhão

Nem o progresso lhe interrompeu
Deu-lhe somente a modificação
Lidar com gado é destino seu
Foi assim que renasceu a sua profissão

Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão
Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão

Como relíquia leva seu berrante
E não esquece sua oração
E ao repousar no galpão ambulante
Ele recorda a todo instante
O tempo do estradão
Assim prossegue o grande vencedor
Que não deixou morrer a profissão
Que ele defende com tanto amor
Trabalhando sem temor com Deus no coração

Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão
Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vai de caminhão
Pelo asfalto levando a boiada o boiadeiro vaaaai de caminhão

Vídeo incorreto?