Num dia desses passado
Pra cantar eu fui chamado numa festa do divino
No avião fui embarcado
Sentou ali do meu lado um homem muito grã-fino;
Dentro de uma sacola
Eu levava minha viola companheira de função
E o grã-fino admirado
Até mesmo incomodado me pediu explicação.
Perguntou nesse momento
Que tipo de instrumento que eu levava na sacola
Se era violão ou violino
Eu respondo pro grã-fino isso aqui é minha viola.
O homem ficou surpreso
Depois sorriu com desprezo, começou a me explicar;
Viola é um instrumento
Usado em outros tempos na fazenda e no arraial.

É um instrumento caipira
Que era usado no catira quando o povo era atrasado
Mas agora é diferente
Nosso povo é inteligente e o mundo ta adiantado.
Já foi tempo da congada
Moda de viola e toada, cateretê e tal fandango.
Não seja bocó de mola
Deixa de tocar de viola agora é rock and roll e tango.
Pelo rádio estão falando
Que o norte americano já chegou até na lua
Seja esperto meu rapaz
Aprenda como se faz, viola é bobagem sua
Eu senti uma dor na alma
Tentei manter minha calma pensando no que ia dizer
Mas senti ferver meu sangue
Pensei nem que ele zangue, mas tenho que responder.

Nossa classe é bem distinta
Mas você não me desminta, não conhece um violeiro
Prefere o rock and roll e tango
E não gosta de fandango só adota o estrangeiro.
Ai esta o erro vosso
Quem despreza o que é nosso não é um bom brasileiro
Das raízes sai chibata,
Cururu e corta-jaca e da viola e violeiro
Sou folclorista e juro
Sou um brasileiro puro que honra minha bandeira
Quem achar que estiver errado
Se estiver incomodado vá pra terra estrangeira
Você que falou da lua
Se é vontade sua então por que você não faz
Veste logo este seu terno
Vá pra lua, vá pro inferno e deixe o caipira em paz.

Vídeo incorreto?