Eu passei minha infância querida
Morando no sitio que tempinho bom
Hoje eu vejo no meu pensamento
Tudo que eu tinha lá no meu sertão
Atrás da casa era só serra
E na frente era um chapadão
A poucas braças de lado
Era o serrado onde passava o estradão

Na frente era grande a varanda,
Uma porta com quatro janelas
Na parede a trepadeira
Dava sempre flor amarela.
No fim da cerca a porteira
E no riacho uma grande pinguela
Em volta do monjolinho
Vinha os passarinhos pra devorar a quirera

Da minha mente não foge
Onde eu morei no meu casarão
Meus brinquedos era bola de pano,
Estilingue, arapuca, bodoque e pião.
Saudade vive brincando
Só com aminha recordação
Se eu chamo não me responde,
Faz ziguezague se esconde a trás do meu coração.

Lá no sitio eu plantava de tudo
Mas ganhei dinheiro só no chuchu
E no rio quando eu ia pescar
Pegava bagre e mandiguaçu.
A codorna piava no campo
E na palhada piava o nambu
O caboclo que é caboclo
Ele pega bem pouco no cabo do guatambú.

Vídeo incorreto?