Em cada dia que nasce, nasce novas experiência
E aumenta em nosso povo a grau da inteligência
O bem vai se regredindo o mal vai criando potencia
O forte impõe seu poder, o fraco pede clemência
Em seu lugar de amor e paz tem maldade e violência.

O respeito foi queimado no fogo da impunidade
A mentira esta correndo bem na frente da verdade
Já tem chefe de família que não tem autoridade
Só serve pra dar dinheiro para o luxo e a vaidade
Tem filho que com o pai não quer nem ter amizade.

No ar, na terra e no mar a violência se espalha
No meio de gente ordeira ela chega e se embaralha.
Faz ambiente tranqüilo virar campo de batalha
Faz sorriso virar pranto e a flor virar navalha
Não precisa sair cedo pra encontrar um canalha.

No mês do dia do índio no distrito federal
Cinco filhos de papai que só pensavam no mal
Puseram fogo num índio como se fosse normal
Ele foi queimado vivo, teve o mais triste final
Pra tribo dos Pataxós foi mais um golpe fatal.

Nesse mundo violento não adianta ser esperto
Por que a violência anda e não tem o rumo certo
Deixando rastro de sangue, na cidade e no deserto
O povão já não agüenta e fala de peito aberto
Sem a intervenção divina o fim do mundo está perto.

Vídeo incorreto?