Anda p'la vida à futrica
O estica larica, o mangas portuga.
Fecha-se em copos e copas
Cafés e cachopas, trabuca e madruga

Galfarro afiambrado, pachola arremelgado
De grimpa levantada e garrafal.
Amigo do amigo, farelo e muito umbigo
Vestiu-se e veio a pé pró arraial.

REFRÃO:
Viva o Santo António, viva o São João!
Viva o 10 de Junho e a Restauração!
Viva até São Bento, se nos arranjar!
Muitos feriados para festejar!

Gosta de armar ao efeito
Baboso e com jeito pra ser bagalhudo
Mas na mulher do carteiro
Já manca o dinheiro, alfaces e é tudo!

Se ele anda com nerveco grazina dum caneco
Lá vai o lascarino pró granel.
E faz as partes gagas, fosquinhas de aldiagas
Palrando até fazer grande arranzel.

Chorou por causa da seca, que a terra ficou viúva
Até correu seca e Meca, fartou-se de pedir chuva
A chuva quis-lhe agradar, banhou a terra as culturas
A água deu-lhe p'la barba há fome em farturas.

Ás vezes já nem petisca
A doença na isca é má pró vistaço
Os vinhos e os jaquinzinhos
São só descaminhos, vai dar ao esquinaço

És tu Pião das Nicas das bocas e das dicas
Que pegas nos calcantes e te vais
Adeus leão dos trouxas, chupado das carochas
Que foste no embrulho uma vez mais.

REFRÃO x2

Vídeo incorreto?