(Estribilho)
Ai, meu Deus, como sou sofredora
Eu acabo virando piaçaba p'rá vassoura (bis)

P'ra varrer estas ruas, cá do Rio de Janeiro
onde pisam todo dia os morenos brasileiros (ah) (bis)

(Estribilho)
P'rá ariar o coração de quem não sabe amar
Vou esfregar, e com ardor, até ele clarear (ah-ah) (bis)

(Estribilho)
P'rá lustrar o assoalho, do chão quando encerado
só p'ra ficar bem bonito, e pisar o meu amado (bis)

(Estribilho)