Mais uma vez
Venho a vocês
Pra confessar
Que nunca fui feliz
Sempre sorrindo, eu vou fingindo

Pois afinal
Não sei o mal que fiz
Sou qual ave que não sabe chorar
Todos gostam de ouvir meu cantar

Com meu violão sempre colado
Ao meu peito tão amargurado
A minha vida
É um livro aberto

Que conta histórias de um deserto
Minha alegria que não tem fim
É a miragem que existe em mim

Vídeo incorreto?