Eu sou velha Chiquinha
sou velha cuidadosa
quintal cheio de ervas
jardim cheio de rosas
Eu sou velha Chiquinha
sou velha importante
parteira de menino
que já é homem galante
Vó conta uma história pra nós
Não vamos cantar aquela do bode
Ai meus netos
Vovó já ta ficando sem fôlego
A gente te ajuda
Ah minha nossa senhora,
meu Deus do céu
deixa eu ver como é que é
cuidado que esse bode pega
cuidado com a chifrada
Eta bichinho danado
que nasceu no Ceará
Embora seja velhinha
agora eu vou contar
a história de um bode
que havia num lugar
o bode é bicho manso
tourinho do sertão
fizeram graça com ele
virou um furação
o bode tava na rua
comendo sossegado
puxaram o rabo dele
bichinho ficou zangado
correu atrás do Raimundo
em Tota deu cabeçada
João Grande jogou pra cima
Zé Teteu levou chifrada
Das Dores fecha a porta
e passa a tramela
o desmantelo é grande
olha aqui da janela
fecha a loja seu Torquato
pula a cerca seu Pimenta
corre, corre meninada
levanta a saia, Dona Benta
gritava a delegado
esse bode é desordeiro
eu quebro o chifre dele
e amarro no chiqueiro
seu padre fecha a igreja
desse jeito ninguém agüenta
socorro, chifre de bode
fura, quebra e arrebenta
chegou Manoel Vaqueiro
Gibão, laço e chapéu
eu vou levar o bode
xodó do coronel
o bode ta no terreiro
bodejando pra danar
chama o dono do bode
leva esse bode pra lá
chegou o coronel
montado em um alazão
eu vou levar o bode
seu nome é Lampião
entrou no pé do pinto
saiu pelo pé do pato
quem quiser mais historia
agora que conte quatro
essa história é tão boa.

Vídeo incorreto?