Liberdade é campo aberto
rédeas soltas, galopar
o longe está mais perto
para quem pode sonhar.

Alma a dentro campo a fora
no atropelo da razão
campereada não tem hora
na fronteira da ilusão.

mas na raia desta vida
é preciso conciliar
achegada tão festiva
e a partida sem chegar.

A galope vão os sonhos
do tropel do coração
deixam marcas de saudades
que jamais se apagarão.

Gineteando apaixonado
vai o nonho do amor
nun flete colorado
que também é sonhador

por lugares encantados
um convite a ser feliz
velhos sonhos renovados
a campear outro matiz

mas no lombo do destino
em galopes desiguais
muitos sonhos de meninos
lembram tombos nada mais

bis
A galope vão os sonhos
do tropel do coração
deixam marcas de saudades
que jamais se apagarão.

Vídeo incorreto?