(refrão)
Na casa da rua do sonho
Moro com a realidade
E nela eu me envergonho
Por não sentir-me a vontade

E nessa realidade tem muita coisa errada
A nossa sociedade tá com a cara vendada
Muita criança na rua vivendo em prostituição
Chairando cola e roubando o crime é a primeira liçao
(reafrão)
Alí bem perto a madame, rica, feliz e bendita
Não sabe o que é passar fome, nisso ela nem acredita
Leva a cadelinha "bamby' no pet shop da fita
Gasta mil reais por mês pra bichinha ficar mais bonita
(refrão)
E lá na roça coitado, sou um matuto penando
De dia um sol danado de noite a barriga roncando
A fome é sempre constante, por dia uma refeição
É feijão com rapadura, pra dormir só tenho o chão
(refrão)
Enquanto isso os "omi" lá no planalto central
É mensalão, sanguessuga, tem vampiro, tem laláu
É o dinheiro do povo na cueca e no calção
Não temos mais segurança, saúde é cáos de plantão
(refrão)
Mas isso ainda tem jeito, é só maria e joão
Tirar seu voto do cesto, do curral, do panelão
Vamos cortar o cabresto e arrancar o mourão
Que o prêmio dessa historia é uma nova nação

A casa da rua do sonho
Pede reforma doutor
Pra que eu não mais me envergonhe
De ser um seu morador.

Vídeo incorreto?