Todo dia você passa por aqui
Anda por cima destas pedras
Sem nunca as perceber
Agora, pára
Você não está acima de tudo
Você não é maior que o mundo
Olhe para o seu lado
Veja o mundo
Aquele pedinte desolado
Não é um vagabundo
É alguém que sofre
Como todo mundo
Mas você não quer saber disso
Prefere viver seus vícios
Teus comprimidos são agora teu mundo
O mundo precisa de você
E você aí sem perceber...

Esqueça teu umbigo
Olhe a sua volta
Fome, sede, violência e morte
Você teve sorte
Não passou fome, nem sede
Mas vive sem viver
No vicio está por perecer

Será que sua vida tem sentido?
Olhe dentro dos seus olhos
E encontre dentro de si
Alguém que precisa de ti

Você não é tão forte
Não venceu ainda a morte
Não está acima destas pedras
Que você insiste em pisar
Sem elas notar