O samba que eu faço
Nunca causa embaraço
Dano muidinho
Na cabeça do compasso
Chega bem pertinho do meu samba, vem!

Meu samba
Meu samba

A vida que eu levo não é bem assim
Forjando auditoria pro meu tamborim
A rima do meu verso é um rio extenso
Aonde eu navego e nunca chego ao fim
Eu nunca chegou ao fim do samba
Meu samba

Meu samba é feito desse jeito assim
Com frigideira, reco-reco e tamborim
Não marco passo só no chão
Desfilo na avenida pela contramão

Dizem que o samba acaba quarta-feira
Mas na minha escola dura a vida inteira
Sua fantasia é real pra mim
É tão real meu samba

Meu samba
Meu samba

A minha poesia é solta no espaço
Escrevo o meu verso fora do seu traço
Faço minha rima fora da lei
E todos têm certeza mas eu nunca sei
Eu não sei de mais nada

Meu samba
Meu samba

Meu samba é feito desse jeito assim
Com frigideira, reco-reco e tamborim
Não marco passo só no chão
Desfilo na avenida pela contramão

Dizem que o samba acaba quarta-feira
Mas na minha escola dura a vida inteira
E sua fantasia é real pra mim
É tão real meu samba

Meu samba

A minha poesia é solta no espaço
Escrevo o meu verso fora do seu traço
Faço minha rima fora da lei
E todos têm certeza mas eu nunca sei
Eu nunca sei de nada

Meu samba
Ah meu samba!
Meu samba

Meu samba é feito desse jeito assim
Com frigideira, reco-reco e tamborim
Não marco passo só no chão
Desfilo na avenida pela contramão

Desfilo na avenida pela contra
Pela contramão.

Vídeo incorreto?