Fabulinhas, papo de mudança,
Revoltados sem motivos,
É assim o tempo todo,
Para não serem esquecidos.

Mudam a aparência,
Uniformes de uma semi vida,
Fingem estar numa roubada,
Ou em uma rua sem saída.

Sem nenhuma explicação,
Querem ser reparados,
Excluídos da sociedade,
Quase sempre são caçados.

Pra que se destacarem?,
Não são melhores que ninguém,
Tão conseguindo o ódio de todos,
E o amor de mais ninguém.

Reparados pelo estilo,
Tentam ser os diferentes,
Acabam sendo vitima,
De uma sociedade independente.

São pessoas carentes,
Retardados incompetentes,
Querem ficar marcados,
Como fase do passado.

Pra que se destacarem?,
Não são melhores que ninguém,
Tão conseguindo o ódio de todos,
E o amor de mais ninguém.