Na casa de Mané Preto
Fui numa festa de São João
Cantei moda de viola
Cateretê lá do meu sertão
Toada paraguaiana
De mexê no coração
Eu fiz as véia chorá
E as moça senti paixão

No terminá essa festa
Eu vim simbora e deixei alguém
Saí tocando viola
Pra estrada afora como ninguém
Quando cheguei na estação
Que eu ia pegar o trem
Ouvi uma voz me chamando
Que queria vim também

Menina tenha paciência
Vorte pra casa e vai com seu pai
Eu sigo pra muito longe
Eu pego o trem e vou pro Paraguai
Não levo você comigo
Porque isso não se faz

Adeus moreninha, adeus
Adeus para nunca mais
Adeus moreninha, adeus
Adeus para nunca mais

(Pedro Paulo Mariano - Santa Maria da Serra-SP)

Vídeo incorreto?