Moro na roça numa paioça
Conheço a choça toda de cór
O nhambu pia faço armadia
Durante o dia escuto o jaó

Lá na paiada perto da estrada
Fica cantando o chororó
Chega a tardinha a codorninha
Levanta vôo e faz caracó

A ciriema canta serena
Repia a pena que nem socó
Triste cigarra geme na garra
Virando a asa que até faz dó

Canta a perdiz e a juriti
Geme na grota do cafundó
Chora a tobaca e o tempo empaca
E faz arco-íris perto do sol

Rompe a aurora na mesma hora
Afino a viola e dó maió
E no banquinho treino um versinho
Pra no domingo canta mió

Depois eu saio amonto no baio
Que tem o nome de Rouxinó
Entro na mata vejo a cascata
Que chora tanto e ninguém tem dó

Chega dia santo eu gosto tanto
Vejo o meu rancho com algum cipó
E na baixada escuto a pintada
Escová a garganta fazendo nó

Entro no bote enfrento a morte
Na água escura jogo o anzó
Quando escurece faço uma prece
É mais uma noite que eu durmo só

Vídeo incorreto?