Ô sanfoneiro deixe de conversa mole
Puxe esse fole, que essa noite é uma criança
Home, avie logo, comece logo essa dança
Que eu já tirei a aliança pra cair nesse forró

Eu levo a vida de cachaça e boemia
Sou viciado em jogo, festa e mulher
Hoje eu namoro até amanhecer o dia
Hoje eu caio nessa folia, pé-de-serra e arrasta-pé

Nesse forró não tem lei não tem censura
Hoje ninguém me segura
Sanfoneiro atole o pé

Nesse salão eu virei arroz de festa
Hoje eu tô com a mulesta
Embriagado de paixão
Eu sou poeta, sou cabra namorador
Matuto cheio de amor
Sou don juan do sertão


Lembranças do meu pai
Daniel bueno
Eu guardo com muito carinho
As coisas que papai deixou pra mim

Meu pai eu guardo com carinho
Na gaiola um passarinho
Que ainda canta pra você
E aquela rede de balanço
Seu cochilo, seu descanso
O seu jeito de viver

Eu guardo com muito carinho
Pendurado num cantinho
Aquele chapéu de couro
Um caneco de alumínio amassado
E o seu nome ali gravado
Num lindo cordão de ouro

Vídeo incorreto?