Formigueiro na avenida
Gente chega, gente sai
Ombro a ombro com alegria
Meu amor correndo atrás

Sem espaço na calçada
Acho que ela voou
Por favor, baiana alada
Vem me dar o teu calor

Que o amor é vulto, OVNI banido
No universo dos bandidos
Somos a tarde de manhã

E a lua não é mais esconderijo
Deixe a nave de castigo
Como te acho baiana

Acho agulha no palheiro
E brinco no litoral
Acho acarajé fervente
Acho fundo musical

Acho que o que quero encontro
Te procurei na multidão
Que tem aloja pelas ruas
Da cidade coração

Se o amor é vulto, OVNI banido
No universo dos bandidos
Somos a tarde de manhã

E a lua não é mais esconderijo
Deixe a nave de castigo
Como te acho baiana.

Vídeo incorreto?