Uma quarta-feira qualquer


Já não quero pulmões
Não posso te respirar
Você se foi faz um tempo
Teu cheiro e meu carro
E sua ausência me faz embaçar o vidro

Já não quero ilusões
Não vai dar
Se acabou aqui do lado
Uma lembrança da noite passada
E me mata se te ouço gritar

Cada vez que volto a passar por sua porta
Algum salto mortal sem proteção
E quase nunca caio de pé
Casa vez fica mais difícil te ver de novo
Invento histórias que guardo
Para o dia que você estiver com você

Já não quero emoções
Sobre o balcão de um bar
Eu prefiro um dia inteiro
Escapar dos murmúrios
E me trancar no meu quarto para cantar

Já não quero intenções
Que se apaguem antes de começar
Que se espero, não espero
Meu tempo não é seu
E de manhã volto a te chamar

Cada vez que volto a passar por tua porta
Algum salto mortal sem proteção
E quase nunca caio de pé
Casa vez fica mais difícil te ver de novo
Invento histórias que guardo
Para o dia que você estiver com você

Uma quarta-feira qualquer
Decidi voltar louco e retorno
Em sua escada
Amanhece que não é pouco e não te toco
Para que não me machuque

Cada vez que volto a passar por tua porta