Sou o retrato desse povo nordestino
Eu sou o menino da porteira do curral
Peguei minhas trouxas pra tocar a minha vida
Com a sanfona eu fui morar na capital

No mar de pedras de cinzentas avenidas
Chorei toda a alegria do nordeste sonhador
Que a chuva esfrie oa neurônios do planeta
lavando a alma desse povo sofredor

Vamos festejar a vida
Vamos festejar o amor
Vamos festejar os filhos,
Agradecendo nosso grande criador

Eu sou a queda das ondas do mar
Eu sou um barco jangadeiro pescador
Sou o ator da novela dessa vida
Eu sou a isca da alegria e do amor

Com minha rima vou cahntando a esperança
Vou tocando eu dizendo embolando eu chego lá
Eu sou a pesca do mais pobre sertanejo
Sou o lampejo nesta estrada a caminhar

Vídeo incorreto?