Fico especado à espera da palavra exacta
Tudo aquilo que era enorme, virou uma cena abstrata
Arte da vida, aquilo que eu tenho vindo a viver
Muita cena é acedida que eu não consigo aceder
Mas porquê? Porque é que a vida é um remoinho
Como é que a vida é para correr se ela não nos dá um caminho
Se eu me encontro sozinho o meu parceiro não é mau
Como é que queres ver o horizonte se vives debaixo de um calhau
Boy tu explica… explicar não prejudica,
Muitos cagaram na risada e ficaram por trás da escrita
Esmaga quem te irrita, expressa aquilo que vês
Vasculhas as perguntas mas não sabes os porquês
Eu faço contas para três, em cima da mesa
Pois do meu prato sei que como alegria e tristeza
A vida é uma beleza, com coisas muito belas
Mas tu logo estragas tudo quando pintas com aguarelas
São unhas amarelas é a voz que fica rouca
Pitas de 12 anos já com cigarro na boca
Uns querem vida loca, mas só para marcar pausa
Depois batem lá com as costas não sabem qual é a causa
Naa.. a vida é rápida é um segundo
Faz a tática porque isto não da para vagabundos
Quantas vezes eu chorei, quantas vezes eu sorri
Disso eu também não sei, mas também não é por ti

Quantas vezes eu sorri
Quantas vezes eu chorei
Quantas vezes de fininho buéda merda visionei
Quantas vezes, quantas vezes
Quantas vezes eu sonhei e apostei
percebi que isto não da para ser rei
Muitas vezes eu paro
Muitas vezes eu penso
Muitas vezes eu reparo
Muitas vezes dispenso e penso,
Vejo até onde a ironia tem preço
Posso perder o início mas no fim eu sei que venço

Aquilo que tu vês à tua volta
Sobrinho mata a tia, chibaria e revolta
Gente influenciada, putos dão banhada
Hoje roubam gomas, amanha à mão armada
O dia-a-dia passa, turistas e desgraça
Mendigo arruma carros para ganhar uma carcaça
Miséria na rua e com problemas nas artérias
Mal tratado, desprezado, ignorado por gente séria
A vida é muito curta para a ironia
Se entrasse no sufoco, muito pouco eu duraria
Rotina é porcaria, mas só pra quem ta mal
Eu vejo pedofilia como agulhas no casal
E não da, nunca deu, não é agora que vai dar
Se pensas perversamente, então pensa em mudar
Há crianças a sonhar por um futuro melhor
Com ideias tu planeias com uma atitude hardcore
A vida é falsa! Boy realça não tenhas medo
Ela quer o teu braço se tu só lhe deres o dedo
Eu mantenho o meu segredo com sentimentos plenos
Dois ouvidos e uma boca para ouvir mais e falar menos
Sem venenos, sou modesto e livre
Sempre tive o que queria mas só mostra o meu calibre
Tu deste a manivela mas a janela não se abriu
Aqui não es bem-vindo, fecha a porta tá frio

Quantas vezes eu sorri
Quantas vezes eu chorei
Quantas vezes de fininho buéda merda visionei
Quantas vezes, quantas vezes
Quantas vezes eu sonhei e apostei
percebi que isto não da para ser rei
Muitas vezes eu paro
Muitas vezes eu penso
Muitas vezes eu reparo
Muitas vezes dispenso e penso,
Vejo até onde a ironia tem preço
Posso perder o início mas no fim eu sei que venço

Vídeo incorreto?