Quando tu tiveres sozinho eu 'tou lá pra te acompanhar,
Quando te vir a sorrir prometo não fazer chorar
Se tiveres acompanhado, eu afasto a solidão,
Se tiveres desamparado eu tou lá pra te dar a mão,
Nas alturas de agonia, eu vou-te dar uma poção
Que aumenta a auto-estima e reforça a motivação
Quando tiveres na duvida, eu vou-te dar certezas
Quando tu tiveres às escuras, vou manter a luz acesa.
Vou fazer um video com fotografias,
As noites mal dormidas passarão a regalias.
As horas que passaste a olhar para o teto,
Vão ser aproveitadas por minutos mais completos.
E dias que passares vão voar numa semana,
Mensagens enviadas passarão a telegramas,
Guarda o teu roll-ex, levanta o cu da cama que a vivenda luxuosa vai virar uma cabana
Mudar, nã
Porque o dillaz nunca muda,
Mas se eu tiver que ajudar, acredita que um gajo ajuda.
Cagar em gente abelhuda, ter um voto no papel
Deixar de ser azelha, dar a abelha pelo mel
Vou ser o teu equilíbrio quando a balança se inclina
Dar-te mais esperteza, tirar-te essa purpurina
Quando tu tiveres em baixo eu vou-te pôr bem lá em cima
Nos momentos de aflição eu vou ser a tua aspirina

A vida que tu levas, leva-se em vão
É fácil de gozar mas vai de empurrão
E se essa tua cena escrita,
Não faças fita
Que ela não implica em vão
E se essa vida é feita para avançar
Então amigo avança mas devagar, pois se essa tua cena escrita,
Mas não faças fita, que ela só vai te ajudar

Uma vida fantasiada, pintada de cores quentes
Em campo suava, lutava com a minha gente
Com o tempo fazia táticas, passivo e consciente
Observava, pensava, jogava com unhas e dentes
Eu era um inocente com os olhos vendados
Focado em objetivos sentia-me hipnotizado, paralisado, cravado num terreno de cimento
A minha companhia era chuva, sol e vento
(...?) De fora, que topa todos os movimentos,
Acabado, destroçado, cheio de ressentimentos
Traumatizado, marcado, com cicatrizes da vida
O destino não tá traçado tem que haver outra saída
Apoio dos amigos, desgosto da família, tanto sofrimento, tanta pouca sabedoria
Para o que sinto, não existe escapatória,
Isto são folhas rasgadas, num livro de história
Tive a chance de mudar, não ser o que sou agora
Mesmo que bata com a cabeça não há falhas de memória
Podia ter ultrapassado qualquer espectativa
Fechei a porta e escolhi andar na rua à deriva
Não houve alternativa, existiram ilusões
Vida sinica, fabricada sem emoções
Desespero, leva-me até depressões
O que é que eu faço agora se a vida são dois testões?

O que vês à tua frente é complicado,
Vou por tudo atrás das costas pra ficares aliviado
E num clima mais pesado vou fazer uma careta,
Para que esse clima de chumbo vire uma leve pena
Ver aquilo que tava tapado,
Ou pelo menos mostrar-te um mundo que não tinha mostrado
Que a vida parte por trás sem te dar o recado,
E no meio desta merda toda boy, quem é o culpado?
Eu vou dar-te uma lembrança, para mais tarde lembrares
Vou arranjar um veneno, para cegar maus olhares
E mesmo que o mundo acabe, seja por onde andares
Boy eu garanto, eu tou aqui para o que precisares
Eu não tou aqui para julgar se tu és preto ou judeu,
Porque a vida é feita de ares e tu respiras do meu
E quando um gajo morrer, será que não vai acordar,
Ou será que há mais um crédito para voltar a jogar?
E se me vires a voar não sou um anjo, sou um pardal
Que plana e sobrevoa, toda a terra e todo o vale
Num voo mais picado, no seu estado natural,
Então diz-me quem é quem, e eu digo-te qual é qual
Houve certos momentos, com pensamentos sonhei,
Que a vida sempre me ajudou e para o (...) acordei,
E por aquilo que passaste se calhar também já passei,
Por isso levanta essa cabeça, okay?

A vida que tu levas, leva-se em vão
É fácil de gozar mas vai de empurrão
E se essa tua cena escrita,
Não faças fita
Que ela não implica em vão
E se essa vida é feita para avançar
Então amigo avança mas devagar, pois se essa tua cena escrita,
Mas não faças fita, que ela só vai te ajudar (x2)

Vídeo incorreto?