Meu bem, eu tenho muita saudade da nossa vida do interior
Você não tinha luxo e vaidade, fazia tudo com mais amor
Tirava leite, fazia queijo, socava arroz e fazia pão
Ia buscar água na biquinha, lavava roupa no Ribeirão

Você dormia em colchão de palha, passava pano com ferro a brasa
Estava sempre de bom humor, fazia tudo dentro de casa
E só saia junto comigo pra fazer compras ou ir à igreja
Se divertia com o rádio a pilha, ouvindo música sertaneja

Mesmo morando em casa pobre, você vivia sem reclamar
Me abraçava, me adorava e não enjoava de me beijar
Mas foi pensando em lhe dar conforto que resolvi mudar pra cidade
Vendi o sitio, fiz o seu gosto e foi a nossa infelicidade.

Hoje aqui você tem de tudo, casa de luxo e enceradeira
TV a cores, fogão à gás, bastante fruta na geladeira
Supermercado a cinqüenta metros, recebe em casa o leite e o pão
Você nem quer mais dormir comigo, amanhece vendo televisão

Você agora tem nova vida, se transformou em mulher moderna
Não se acanha sair de shorts, se rebolando e mostrando as pernas
Já não me beija, nem me abraça e menor conta de mim não faz
Não me acostumo com essas coisas, eu vou voltar pra Minas Gerais

Vídeo incorreto?