Meu senhor onipotente
Olhai para essa gente que esta sofrendo demais
Pelo jeito que estou vendo
Nossa paz está morrendo, chegando seus dias finais.
Meu querido pai terno
Neste ambiente moderno é só tristeza que traz
Ambição, ódio e maldade
Que destrói a humanidade são obras do satanás.

Não existe mais sossego
É só fome e desemprego em um ritmo veloz;
Se ouve no mundo inteiro
O grito de desespero, o clamor de uma voz.
Nós estamos condenados
Pegando pelos pecados do ganancioso atroz
Enquanto existir vaidade
O bom Deus da eternidade não vai sorrir para nós.

Não resisto minha mágoas
Muita seca, pouca água tudo fora do normal
Vejo o pai desesperado
Com o seu filho viciado pelo caminho do mal.
Vejo intrigas, vejo guerra,
Vejo tremores de terra neste chão universal
O que vem acontecendo
Já me fez ficar prevendo nosso juízo final.

Os grandes homens do invento
Mudaram de pensamento são contra nossa harmonia
Esqueceram que num prédio
Falta comida e remédio, falta conforto e alegria.
A derradeira conquista
Foi a coisa mais sinistra no campo da engenharia
Com a bomba nuclear
Só falta mandar pro ar o que foi feito em sete dias.

Vídeo incorreto?