A cena se repete em mais uma porta de banco
E alí me encontro jogado no chão
Já tô perdido no tempo, que horas são? três horas em ponto!
Minha memória tá curta, já não sei

Porque me encontro nessa situação
Foi por feijão? não sei! por um milhão? talvez!
Foi pra remédio ou apenas consagração?
Notas de cem e ví, que o dinheiro envenenou mais um muhammad ali

Por um instante na minha mente veio
Um sentimento frustrante, sem jóia e sem diamante
Cadê minha glória, ficou na porta giratória
Tô arrependido e sem vitória

Agora é tarde demais... (plow plow)
Pra começar a pensar em voltar atrás
Olhe a tua volta, não tem anjo da guarda ou escolta
Cadê teus manos que colavam na tua bota

Só acenderam e te deixaram com o estopim
Não foi o futuro que minha mãe sonhou pra mim
Firmeza, eu vim, só que meu pressentimento era ruim
Agora filho reza que tua vida chega ao fim

"quem não se enquadrar vai pagar caro
Vai ser trancado no sistema carcerário
Quem não se enquadrar vai ser fichado
Intitulado terrorista revoltado"

Fiz 26, fiquei guardado tipo uns três
Não sei o que é trampo a quase seis
Mente ociosa o sistema bate palma
O capeta te dá o braço pra sugar até tua alma

Mãos para o alto, não é cena de cinema
É matéria ensanguentada pro arrombado do datena
Empresário no cativeiro, é o que dá ibope
Pro patrocinador que vende detergente ou isqueiro

Se não chegar logo o resgate
Nem a swat vai te livrar do lixeiro
Eu tô com um plano, e não adianta passar pano
Vamo tomar o mundão de assalto, e dividir só com os manos

Fui autuado mas não vou pagar minha pena
Sou mais um filho renegado do sistema
Desde pivente de hk e com capus
Cuspí na cruz e na palavra de jesus

Tem um retrato falado meu no inferno
Prefiro as ruas, mais que escola e que caderno
Já tenho a letra de todo o teu circuíto interno
Pra eu ter carro, casa própria e um belo terno

Quem não se enquadrar vai pagar caro
Vai ser trancado no sistema carcerário
Quem não se enquadrar vai ser fichado
Intitulado terrorista revoltado

Quem não se enquadrar vai pagar caro
Vai ser trancado no sistema carcerário
Quem não se enquadrar vai ser fichado
Intitulado delinquente viciado

Vários manos lutando, alguns já se recuperando
O foda é ver na minha cara uma pá de porta se fechando
A treta grande nego é mesmo olhar pro lado
E ver o caixão do ulisses sendo fechado

Pros combatentes das guerras cotidianas
Não tem patentes, muito menos diploma
Crucificado está teu carma no 12 nos becos de uma favela
Pros boy o medo começa na tua tela

Vida real não é igual o comercial da tua novela...

Eu vou contar até três, você aperta o botão com a tua opção
Número 1: você me quer catando lata, engraxando os de gravata ou catando resto no chão
Pra quem sabe um dia eu na revolta, driblando a tua escolta e alvejando teu coração
Número 2: o tempo está se esgotando, quem sabe seja melhor
Eu de capuz e uma cromada na missão na tua quebrada invadindo a tua mansão

Terceira opção, não quero mais sair como vilão
Quero e caneta e papel de munição
E microfone engatilhado na minhã mão
Ainda de quebra respeito, me der acesso... alimento e educação

Pra cada castelo erguido
Com o sangue de um mano excluido
Escuto a voz da revolta, em meio aos escombros de um fugitivo
Os boy me olha, se apavora e chora

Outrora quilombos implora
De quem é a vez de rir agora?
Hoje é brasil, favela fuzil
Cadê os cuzão que me excluiu?

Vídeo incorreto?