Se eles procuravam lágrimas, irão ter
Pois desde agora eu não pareço mais com você
E até doeu rasgar meu coração, mas no final passou

Se eles procuravam ter a minha redenção
Num gesto simples, desespero para chamar atenção
Daqueles que velam pela tristeza, alheia

O oceano de angústia que ficou para trás,
Banhou mulheres, seus filhos e seus momentos de paz
Gritando mais, por piedade
Mas esse mesmo oceano da destruição,
Não conseguiu prosseguir, perdendo a força e em vão
Não mais lutou, se entregando

Alguém surgiu contando histórias velhas sobre amor
Declarações poemas fábulas versos de dor
Tão preparados programados para encantar
Mil corações

Mas se esqueceram que eu também nasci para enganar
E meu jeito simples e inocente para poder disfarçar
Que eu aprendia aos poucos seus segredos
A humanidade acredita e o filme chega ao final,
Agimos como os artistas, mas nossa vida é real
Sem ilusão, sem final feliz

Eu me mudei para bem longe eu me distanciei
Para prosseguir com meus sonhos e foi de lá que
encontrei
A conclusão, a verdade

Mas chega ao final e cada segundo é vital
De joelhos, entre prantos
Anjo da luz, meu oceano é o chão
Aos cuidados da saudade

Sonhos, memórias, promessa, fato ou destino
Distancia, verde e amarelo, cilada, boca do lixo
Carros, muralhas, presídios, na lei que tarda mais age

Cultura livros, dispultas, reuniões em família
Esquecimento, euforia, dispretenção, ritimia
Revelação confiança, linguagem, fé e esperança
Adeus de cara lavada, tudo recente a apagado
Jogue o dinheiro para cima e diga o que tú tens de
real