Aquela ali não tem mais nome
Para ela o mundo agora é o corredor da morte
E não adianta mais olhar para o céu
A esperança dela alguém levou embora

Ela não quer saír de casa
E seu melhor amigo agora é o cobertor
No quadro antigo o seu retrato
Mostrando um rosto que hoje já não existe mais

Não quer mais viver
Não quer mais sorrir
Não há mais lugar
Onde ela possa estar sem se lembrar

Mas como sempre as cores voltam
E o sol que foi voltou com luz para escuridão
E ela não via tanto brilho assim
Suficiente para espantar a solidão

E é novo dia e ela quis saír
Andar descalça sobre a grama do quintal
Jogar as cartas sobre a mesa para vencer
Saber que fases sempre chegam ao final

E quem não deu valor
Perdeu sem nem saber
Alguém que agora insiste em encontrar
Um novo amor em outro alguém

Vídeo incorreto?