Vou fazer um pedido a Deus
pra de mim ele ter piedade
refazendo voltar ao presente
meu passado de felicidade
a esperança da minha infancia
e os prazeres da mocidade
porque hoje meu corpo cansado
não suporta o peso da idade
sou a curva do rio que secou
aonde encostou a ingrata saudade.

Passo os dias na minha cabana
na soleira da porta sentado
relembrando as proesas que fiz
e o chão que por mim foi pisado
meus cabelos já parecem pano
e tem gente que acha engraçado
falar de minha pele enrugada
representa o mapa riscado
cada risco que tenho no rosto
retrata o desgosto que tenho passado.

Se meu Deus não poder devolver
o meu tempo feliz de outrora
que levava bem longe de mim
a tristeza que eu sinto agora
e trazer novamente alegria
para o meu pobre peito que chora
eu confesso com toda franqueza
que do mundo prefiro ir embora
de joelho eu peço perdão
e me dê sua mão ao chegar minha hora.

Nesta grande batalha da vida
reconheço que estou vencido
na trincheira da desilusão
solitário estou escondido
aos amigos eu peço desculpa
se por mim alguem foi ofendido
os meus versos eu deixo gravado
e a Deus faço mais um pedido
proteja quem lê poesia seleta
pra esse poeta não ser esquecido.

Vídeo incorreto?