Aqui estou eu, solidão
Depois de uma nova ilusão
Volta tentando buscar
A paz que a paixão não me dá
Você, solidão,sempre foi meu começo de vida
E é fácil encontrá-la de noite num canto de bar
Vejo encostado ao balcão
Alguém em igual condição
Ouço um piano tocar
Lembranças se espalham no ar
A quantos assim como eu
Você serve de companhia
Consolo na noite vazia
Pra quem quer chorar

E eu choro
Por tudo que rememoro
Lavo o meu peito e melhoro
Encho o meu copo e o devoro
Tirando essa angustia de mim
Depois canto
Limpo os vestígios do pranto
Pago a despesa e levanto
E vou sair por aí
Pelas ruas da noite sem fim
Saciado
No rosto um vento gelado
Apunhalando o passado
Reconstituindo a vida
Mais leve
Mostrando a dor como é breve
Quando você, solidão
Me faz sentir em paz

Vídeo incorreto?