Sono e morte


Sonhando com salgueiros
Para acariciar as faces das estrelas
O desbotado manto da noite se inclina

Sono e Morte, as águias negras
Vagando por noites a fio em torno de nossas cabeças.

O semblante de nossos túmulos brancos
Olha para nós
O semblante de nossos túmulos brancos
O tempo todo

Sono e Morte, as águias negras
Vagando por noites a fio em torno de nossas cabeças.
Enquanto estamos andando sobre arcadas escuras
E as sombras de anjos mortos brincam ao lado.

Silenciosamente os ventos decaem
Na colina solitária
As paredes sombrias
Do bosque outonal

O semblante de nossos túmulos brancos
Olha para nós
O semblante de nossos túmulos brancos
O tempo todo

Sono e Morte, as águias escuras
Vagando por noites a fio em torno de nossas cabeças.
Enquanto estamos andando sobre arcadas escuras
E as sombras de anjos mortos brincam ao lado.