Ah
Eu faço samba é por louvor
Não há no meu samba senão
O que sai do meu peito
Onde o samba é senhor
Ele chega sempre assim
Maravilhado
Ah
Não falo com nenhum rancor
Mas pra quem só vê
no meu samba
Um sinal do passado
Sem tanto valor
Digo que não canto
pra fazer agrado
Vejo o meu violão
Tal como um rio encantado
Onde as águas se vão
não por se haver combinado
Um samba não tem caminho certo
Ou razão determinada
Meu samba só é samba por ser
Feito do nada
Samba é meu único penhor
Se alguém me batuca
um compasso
Eu já faço tal qual faz
um Deus Criador
Não precisa mais
pro samba ser criado
Vejo o meu violão
Tal como um rio encantado
Onde as águas irão
seguir seu próprio traçado
Um samba nem sempre
está por perto
Mas sempre ouve a chamada
Meu samba só é samba por ser
Feito do nada

Vídeo incorreto?