Pra quem se foi ou já partiu,
A vida parece que sorriu,
Pra quem ficou, ficou pra trás,
A dor de uma ferida se abriu,
A busca de uma espera começou,
A dor de uma ausência se instalou,
Passam horas, passam dias, passa o tempo,
Só não passa a saudade que aumenta,
E no coração de um amante Pai,
Se aloja um desejo, uma prece e um pedido:

Filho volta, é só abrir a porta,
Que nunca esteve fechada, trancafiada mas escancarada,
Esperando quem sabe, um dia
Que num rasgo de pura ousadia,
Você, finalmente quisesse por aqui se aninhar

Filho volta, pois já passou da hora
De insistir num caminho cheio de espinhos vazio e mesquinho,
Por que não dar de novo uma chance,
Ao amor esse dom tão gigante,
Que ter quer envolver como antes,
E jamais te deixar,

Volta enquanto em tempo, volta
Volta enquanto ainda é hora,
Volta pra casa, volta
Sou seu Pai, pra mim importa
Volta! Pode ser madrugada
Volta! Quem sabe na alvorada
Mas volta, volta, volta,
Eu esperarei,
Sempre sonharei,
Com sua volta

Vídeo incorreto?