Hoje eu pinto a avenida de azul e amarelo
Com o belo do céu e do sol do sertão
Hoje a minha Tjuca faz festa com o povo
Pro rei ter de novo uma coroação
Reis, rainhas e plebeus, desse mundão de Deus
Sejam bem vindos: a festa vai começar!
Toque a sanfona Luiz, o povo aqui tá feliz
E esse momento lindo não se apagará
Vamos cruzar o sertão, no lombo desse baião
Pelas estradas de Luiz Gonzaga
Vem lua, luar, pra coroação
Teu centenário é um relicário da nação
Aqui o rei cantou, falou das coisas do Nordeste
Da luta dessa gente, que de forte ainda se veste
Da terra dando vida Severina em pleno sol
Das cores do estandarte da poeira
Sabores dando arte lá na feira
Dos cheiros explodindo no arrebol
Canta, liberta esse aboio da garganta
É hoje que a avenida se levanta
Pra ver e aplaudir o teu cantar
Canta luiz, eu tô feliz, bom dos pés e da cuca
Eu vou cair no samba com o rei do baião
Cantando a nação imortal da Tijuca
Nas terras de Vitalino, nos tempos juninos, o rei cantou
A saga de um boi de carro, um cavalo de barro e um trio tocador
Aqui na missa do vaqueiro, entre bois e romeiros, a oração
Rogando a bem de São José, um pedido com fé faz chover no sertão
Aqui, Luiz Gonzaga atravessou o São Francisco
No dia em que Corisco se apartou de Lampião
A mão do velho Chico põe o verde na caatinga
Cantigas dando o tom da plantação
Meu rei, vamos simbora buscar sorte nas carrancas
Arranca do meu peito todo mal que sai dos ói
Ói, é São João, vou pro arraiá dançar que só
Maracatu, bumba meu boi, frevo e forró
Nossa quadrilha também tem festa de reis
Se cada um é rei nessa folia
Com a tinta da alegria, pinte a sua própria lei

Vídeo incorreto?