O barulho, tumulto
o ar denso dos dias
somos nós nesse assunto
no rumo várias vidas
paz armada até os dentes
consciência que inibe
as imagens na mente
conflitos nesse ringue
pra enxergar o que me cerca mantenho o sinal de alerta
na hora certa pra não sofrer nessa guerra

Violência ecíta as preces e também nossos medos
chove maldade em março
de janeiro a janeiro
olhos pro que me cerca
sorte pra chegar ileso
e se estás inteiro agradeça à Deus primeiro

Visto armadura contra o mal
que não avisa onde explode
faz de manchete de jornal
aumenta o ibope que promove
aos olhos do oprimo aos olhos do opressor
enfrenta os nossos mitos
filhos da mesma dor
a vista não me engana no cenário tropical
contrastante desigual
já é normal o clima tenso nesse meio
é natural por onde vai de onde veio
a liberdade leva um tiro certeiro
todo esse inferno toda causa e efeito
sou vitimado pelos que são eleitos
e no final fica o dito pelo mau feito

Violência ecíta as preces e também nossos medos
chove maldade em março
de janeiro a janeiro
olhos pro que me cerca
sorte pra chegar ileso
e se estás inteiro agradeça à Deus primeiro

Sorte pra sair
note ao chegar
olhos pra seguir
forte pra andar
Sorte pra sair
quando a voz da rua no seu ouvido sussurrar
note ao chegar
o clima tenso que invade e exala mal no ar
olhos pra seguir
a luz do que te guia não importa a onde vá
forte pra andar
no conflito desses dias que não escolhe vítima
Violência ecíta as preces e também nossos medos
chove maldade em março
de janeiro a janeiro
olhos pro que me cerca
sorte pra chegar ileso
e se estás inteiro agradeça à Deus primeiro

Vídeo incorreto?